A vida do árbitro de futebol não é fácil

Declaração do Árbitro Eduardo Oliveira: “ É muito emocionante ser árbitro, sinto uma paixão pela profissão, é difícil, temos que lidar com a emoção das pessoas, o futebol tem isso, somos os pais do futebol! Nem sempre somos compreendidos nas nossas decisões, isso é o mais difícil”.

Árbitro, Eduardo Oliveira de Souza

Dificilmente não encontraremos um árbitro de futebol, que não esteja tão exposto à críticas.No jogo de futebol, ele é sempre um dos alvos, e mesmo tendo o seu melhor dia no apito, recebe críticas e cobranças.Após o término do jogo o árbitro sempre está a mercê de críticas, são torcedores, comentaristas e dirigentes.O árbitro de futebol está sempre na condição de ser julgado, no campo de futebol a sua decisão é absoluta, não cabe recurso, tem que trabalhar com poucas ou grandes plateias, tendo que tomar decisões importantes a todo instante.Portanto, é muito difícil encontrar um árbitro para realizar um trabalho que seja capaz de deixar satisfeitas as duas torcidas no estádio, geralmente, há um descontentamento por ambas as equipe e torcidas.

Todos os envolvidos na partida de futebol querem demonstrar que conhecem mais do que um profissional do apito, o árbitro é um réu, com sentença definida no meio do julgamento sem direito a advogado.É notório que o arbitro é o único participante numa partida de futebol que se comete um erro é crucificado. Ele é tão visado, que não importa as situações da partida de futebol, por exemplo, se o jogador perdeu um gol feito, se o goleiro falhou no lance do gol, portanto, sempre haverá comentários que o juiz teve interferência direta no resultado do jogo.
Outro fator importante é a falta de leis que regulamentem a profissão de arbitro de futebol aqui no Brasil. As demais áreas do futebol estão profissionalizadas, desde o jogador do clube, entretanto, a carreira de árbitro ainda não tem a sua regulamentação.As dificuldades da função de árbitro transcendem as quatro linhas do campo de jogo. , Além disso, o árbitro trabalha como herói, ele deve ser onipresente, ou seja, está em todos os cantos do campo, para ter condições de julgar, punir, absolver, disciplinar, e manter a ordem.Com o avança da tecnologia nas mídias televisivas, fica desigual o confronto com a capacidade humana do árbitro, uma vez que o mesmo não dispõe deste recurso em tempo real para auxiliar nas suas decisões, as quais devem ser tomadas em frações de segundos.

O arbitro, Eduardo Oliveira de Souza, mora na cidade do Gama, começou a carreira em 1997, porém, teve a sua formação em 2004, pela Federação Metropolitana de Futebol, fez vários jogos profissionais. Em 2015, parou de apitar pelos profissionais, atualmente, apita os jogos pelo futebol amador e base da cidade do Gama.

Em fim,PARABÉNS ao arbitro, Eduardo Oliveira de Souza, pois é um grande árbitro, sempre agiu com ética e responsabilidade. Valeu Professor! 

Árbitro, Eduardo Oliveira de Souza
Árbitro, Eduardo apitando o jogo do Gama.
O Árbitro Eduardo Oliveira no Estádio Bezerrao.

 

Be the first to comment

Leave a Reply