O OUTRO LADO DA MOEDA!!!

Gostaria de deixar algumas considerações, principalmente aos atletas e pais de atletas das categorias de base.

O caminho é muito difícil.
Ser titular nas categorias de base não é garantia de que será jogador profissional.
Não conseguir se tornar profissional não é algo tão grave. Tem que estar preparado para as decepções dentro de um ambiente competitivo e nem sempre justo, como a maioria das profissões.
Ter ou não um empresário/agente/intermediário forte não é um fator determinante. Normalmente os agentes buscam os atletas mais promissores porque sabem desse afunilamento.
Não subiu para o profissional, não virou, não jogou em tal time ou não passou no teste, muito provavelmente, não é porque não faz parte do esquema do treinador, auxiliar, diretor ou presidente. É porque é difícil mesmo. Infelizmente há um esquema de corrupção para beneficiar jogadores e interessados, mas são poucos casos e, no final das contas, o maior prejudicado é o próprio menino.
Não transfira a responsabilidade para outros. Treine mais e se dedique ao máximo, todos os dias.
Ser jogador ganhando pouco não compensa. Chegará aos 30 com poucos anos de carreira, muitos de vida e nenhum patrimônio. E sem uma perspectiva de carreira, como os outros que não tentaram ser jogador e já estão trabalhando, formados ou empregados, ou seja, com uma vida profissional fora do futebol.
Apesar das dificuldades de se tornar um jogador de futebol profissional bem sucedido, deve-se ressaltar o quão desafiador será lutar pelo seu sonho, mesmo que isso não resulte na meta (sonho) estabelecida. Muitos ganhos poderão vir dessa determinação, necessária para qualquer carreira profissional.
Essas crianças e adolescentes não podem ser vistos como fonte de riqueza no futuro. Isso é uma fábrica de frustrações, diferenças entre os familiares e uma inversão de valores. O normal ou natural é os pais educarem e sustentarem a família e não o contrário. Esses meninos irão crescer e terão suas famílias para sustentar. Têm pais que abandonam os empregos e mudam de cidade para viver na dependência do filho.
O excesso de transferências dentro das divisões de base também é um risco enorme. Trocar de clube pode ser prejudicial e muitas vezes é uma escolha de curto prazo, que trará dinheiro imediato e limitará o crescimento no futuro. Degrau a degrau, o foco deve estar na transição para os profissionais.
Estudar é um caminho indispensável, principalmente porque o futebol de hoje valoriza os jogadores inteligentes dentro e fora de campo. Estudar mais tornará o jovem uma pessoa melhor, e as pessoas mais capazes têm mais chances de sucesso em tudo. Uma parte do sucesso pode vir de um dom. Mas só o trabalho potencializa isso. Isso também vale para o mundo corporativo, na busca de empregos e estágios, assim como para o vestibular das melhores universidades. Tenha um plano B. Se a sua paixão pelo futebol continuar, a cadeia do futebol está crescendo e hoje abrange muitas profissões nas áreas médicas, humanas, sociais e, obviamente, na parte técnica do futebol.
Estude inglês, pelo menos, já que o sonho da maioria é jogar no exterior. Prepare-se para ser um jogador melhor e para os muitos anos de vida após a carreira.
Valorize os bons professores. A chanceler alemã Ângela Merkel costuma dizer que professores não são pessoas comuns e que pessoas comuns não são professores. Seu treinador/professor pode te ajudar muito. Respeite-o.
Cuidado com aproveitadores! Nunca dê dinheiro para time, treinador, empresário, diretor, etc. O time que tem que pagar os jogadores e não o contrário. Os que “compram” isso adiam um problema, porque se já é difícil esse caminho de ser jogador profissional por mérito, imagine se for por interesse?
Seu filho está preparado para isso? Vocês pais estão preparados para dar o amparo necessário e o apoio que tem que ser dado? Seus filhos terão muitas dificuldades no clubes, como de relacionamento, alimentação, privacidade, descanso, entre tantas outras. Eles só podem ter vocês de pais. Não estrague isso.
O caminho é difícil. Pense bem antes de querer ser jogador e saiba que a competitividade é gigante e que terá que abrir mão da infância, adolescência, e do convívio familiar e dos amigos. Você está disposto a isso, de verdade?

 

Enviado pelo Walmir Gomes no Grupo do WhatsApp do Gamados por Futebol, quer fazer parte? Clique no link: https://chat.whatsapp.com/2OSgCOyAz0G5GAOu8glsU0

Be the first to comment

Leave a Reply